0

Como apoiar seus times em uma autoavaliação de desempenho

Como apoiar seus times em uma autoavaliação de desempenho

Refletir sobre a própria carreira não é uma tarefa fácil e é importante que o RH dê subsídios e possibilidades para que o colaborador faça sua autoavaliação de desempenho.

Para entender como o profissional está performando no ambiente, é importante mais do que avaliações dos líderes ou dos pares, mas ter também a autoavaliação no ambiente faz toda a diferença para resultados cada vez mais reais.

Como esse tipo de avaliação é feito em seu ambiente? Vamos falar mais sobre essa forma de identificar performance do profissional. Acompanhe!

O que é autoavaliação de desempenho?

A autoavaliação de desempenho é um tipo de avaliação que as empresas utilizam para analisar e mensurar a performance dos colaboradores das equipes. Porém, nesse caso, a avaliação é feita pelo próprio profissional, que analisa sua postura, conhecimento técnico, relações interpessoais e desempenho no geral.

Essa é uma ferramenta importante para que o RH e líderes consigam identificar, diagnosticar e analisar o perfil do indivíduo, especialmente seu comportamental em relação ao que é avaliado e o que é realidade.

Por que realizar a autoavaliação de desempenho?

A autoavaliação consegue coletar informações relevantes sobre o colaborador e visões que ele mesmo identifica em seu perfil. Através dela, os colaboradores são convidados a pensar melhor sobre seus pontos fortes, fracos e competências que precisam ser desenvolvidas.

Ao dar sua própria visão sobre si, o colaborador tende a se sentir ouvido, valorizado, desafiado a evoluir e torna-se mais engajado com o ambiente em que está inserido.

A partir da autoavaliação, avaliação de líderes e acompanhamento de metas e resultados, é possível definir planos estratégicos para carreira, promoção, bonificação, definição de treinamento e desenvolvimento, desligamento, entre outros.

Como aplicar a autoavaliação e qual o papel do RH nessa condução?

Esse tipo de avaliação inclui aplicação de questionários contendo perguntas sobre rotinas de trabalho, desafios, oportunidades, objetivos, comportamentos e outros aspectos.

É importante que a empresa tenha definido o que é importante para ela e o que se quer avaliar de acordo com seus valores organizacionais.

Um grande desafio da autoavaliação de desempenho é que ela exige muita sinceridade e olhar crítico sobre si mesmo, e isso pode fazer com que os resultados não reflitam a realidade por “medo” dos colaboradores.

Aqui entra forte o papel do RH, que deve ser protagonista para a condução dessa estratégia. Mesmo que seja individual cada resposta, é preciso que o RH prepare os profissionais para coletar informações que sejam dados reais.

Dessa forma, o RH e líderes tem como tarefa orientar colaborador, explicar sobre a importância desse tipo de avaliação, propor formas de avaliar, explicar que tudo é válido e que não existe certo ou errado e, principalmente, esclarecer que se trata de uma avaliação sincera, composta por outros elementos e que não se trata de um julgamento ou sentença sobre a carreira.

Além disso, alguns passos são importantes para o pré, durante e pós condução das avaliações, que são:

  • Criação do questionário de autoavaliação de desempenho: é preciso desenvolver perguntas que tenham a ver com o ambiente e valores do negócio. O bom desenvolvimento do questionário é o que vai guiar para bons resultados.
  • Conscientização da importância do processo para o desenvolvimento do profissional: é preciso engajar os colaboradores com a autoavaliação e, por isso, é importante investir em comunicação sobre o processo a ser realizado.
  • Explicação clara de que não haverá julgamentos e, por isso, todos devem ser sinceros nas respostas.
  • Acompanhamento dos colaboradores: estabeleça prazos para que a avaliação seja realizada e esteja disponível para acompanhar colaboradores em seus processos, dúvidas e questionamentos.
  • Análise dos resultados e relatório de desempenho: é importante analisar os resultados junto às lideranças e fazer calibragens para que as respostas reflitam a realidade do colaborador.
  • Feedback individual para cada colaborador: é preciso dar feedback para o colaborador sobre seu desempenho, afinal, somente assim poderão ser traçados planos e estratégias de melhoria.
  • Ações com treinamentos, palestras e acompanhamento de colaboradores: além de feedback, é importante criar ações para desenvolver os pontos de melhoria identificados.

Como fazer uma boa autoavaliação?

Avaliar a si mesmo não é uma tarefa simples e as pessoas têm dificuldades de apontar seus defeitos e qualidades, especialmente quando se sentem julgados em um processo como esse. É importante que o RH seja aliado e dê dicas e estratégias para esse momento:

Fale sobre autoconhecimento

Não é possível se avaliar de forma realista sem de fato se conhecer. Portanto, invista em autoconhecimento e tempo para entender seus comportamentos e atitudes. Refletir sobre si mesmo é crucial não apenas no ambiente de trabalho, mas na vida como um todo.

Entenda sobre pontos fortes e fracos

Nem tudo é 100% positivo no ambiente de trabalho e é preciso ter conhecimento sobre o que é que você faz de melhor e o que precisa trabalhar para chegar a resultados ainda melhores.

É importante ser realista e verdadeiro sobre isso, afinal, somente reconhecendo as qualidades e fraquezas é que se torna possível que elas sejam trabalhadas e exploradas para o desenvolvimento.

Estabeleça metas pessoais

Para o bom desenvolvimento profissional, é preciso estabelecer metas pessoais e isso deve ser pensado no momento da autoavaliação. Reflita onde está, onde se quer chegar e o que precisa ser feito para chegar até lá – e claro, entenda se suas ações estão de fato alinhadas aos seus objetivos.

O que fazer a partir da autoavaliação de desempenho?

Como já dissemos, não basta aplicar a avaliação, é preciso coletar insights, transformar informações em dados, analisar com o gestor e dar feedbacks para os colaboradores.

Com os resultados das avaliações é possível que gestores e colaboradores desenvolvam planos de desenvolvimento individual (PDI) para atuar nas fraquezas e reforçar as forças para atingir a excelência dentro do que é desenvolvido.

Nesse processo, é crucial traçar estratégias de educação corporativa, treinamento e desenvolvimento para dar subsídios para os colaboradores em suas jornadas.

Como está o processo de avaliação de desempenho em seu negócio? Agora que você sabe mais sobre autoavaliação, desenhe o processo em seu ambiente e busque resultados em cada time e colaborador!

Aproveite e conheça mais sobre a Engage e desenvolva de forma simples e rápida seus treinamentos corporativos!


    Warning: foreach() argument must be of type array|object, bool given in /home/engage/public_html/wp-content/themes/cms/single.php on line 73